… o poema co…

•23/03/2012 • 3 Comentários

Imagem

o poema como eu quero

eu gosto da coisa real
centrada em si mesma
rica em efeito especial
lixa sob o fluir da lesma

uma puta poesia pura
água que pedra fura
alegria de mulher nua
lente no olho da rua

coisa de quem acha
e não de quem procura

antonio thadeu wojciechowski

Publicidade

•09/02/2012 • 1 Comentário

NOITE DE LUA CHEIA

“oh lua, nunca te vi mais bela
linda assim você parece ela”

Duas e dez da manhã. Azul o céu se estica
até virar carvão, escuridão, pretume.
O sono deu lugar ao sonho de costume:
resfriar a paixão que o peito maçarica.

A Lua agora sai de trás da nuvem negra
e um pouco mais de luz me traz a paz e a calma.
A cal no tronco é dorso de uma estátua grega,
Vênus de Milo, no quintal, pedindo alma.

Centenas de centelhas piscam sem parar
e eu caminho entre as árvores com meus cachorros.
Eles olham pra Lua e começam a uivar,
como nos velhos tempos em que foram lobos.

Cães, como não amá-los, se tudo que querem
é nossa companhia, nosso amor e afeto?
Abraço-os, acaricio-os, pra que não se alterem
com a força da Lua e seu poder magnético.

Um começo de frio acaba com a festa,
me recolho e me vejo cheio de esperança.
Ser teu, minha poesia, em noite de seresta;
ser o teu par na honra de uma contradança.
.
A madrugada avança e o dia não falha,
meu amor se espalhou em versos enluarados
sobre a página pálida que me agasalha.
Acho que agora, Lua, estamos conversados.

antonio thadeu wojciechowski

•27/01/2012 • 1 Comentário

.

na batida do pandeiro

disse ontem digo hoje
cabra ruim é no cabresto
quem quiser que faça pose
e se benza com João VI

muita coisa vi rolar
mas não vi assombração
sou de paz e vou pro bar
vou encher o caveirão

se você que é meu amigo
paga a conta e vai embora
pela sombra eu não te sigo
mais feliz me sinto agora

passa a noite passa o dia
até passa o meu amor
se ela diz que não queria
dá licença, por favor

se disser que eu facilito
silabando só em sete
a peixeira puxo, agito
faço furo a canivete

ser poeta é bem maior
lá do céu que vem o dom
se me julgam o menor
eu insisto e fico bom

sou da turma dos contentes
na viola ou no verso
pra terror dos descontentes
sou um deus e sou perverso

quem quiser ouvir se abanque
pois o show vai começar
que ninguém a porta tranque
não é fim quando acabar

no meu verso não respeito
nem anel e nem nobreza
essa dor é do meu peito
e é também minha riqueza

deixo o dito por não dito
se vier conversa mole
quem disser que está escrito
vá embora, não me amole

se o verso vai e vem
olhe bem pro coração
ele é tudo que se tem
quando a gente tem razão

comecei e terminei
na batida do pandeiro
já cantei tudo que sei
se divido fico inteiro

pra quem fica digo adeus
pra quem vai que fique em paz
se não sei quem são os meus
tanto fez ou tanto faz

com amor, não vou sozinho
desde os tempos de rapaz
eu conheço seu caminho
mas voltar não volto mais

antonio thadeu wojciechowski

•27/01/2012 • Deixe um comentário

Um sonho dentro do sonho

Tome este beijo em tua testa!
Me despedir é o que me resta,
além de aparar as arestas.
Você não erra, quando diz
que só no sonho sou feliz.
Mas se a esperança me abandona
de noite ou de dia, é o de menos,
a vida não é uma zona?
O que vemos ou parecemos
é só um sonho dentro do sonho.

Nas costas, vagas batem, rugem,
como se dissessem “derrubem!”
Mas eu mantenho em minhas mãos,
da areia dourada, alguns grãos.
Quão poucos! Como meteoros
somem, somem entre meus poros,
Enquanto eu choro, enquanto eu oro!
Ó Deus! Eu não posso entender,
por que assim tudo tem de ser?
Ó Deus!, é possível salvar
um grão da impiedade do mar?
Ou o que sou, sinto e proponho
é só um sonho dentro do sonho?

Edgar Allan Poe

Por Antonio Thadeu Wojciechowski

UM SONHO

Andando, ás cegas pelas ruas, eu vi
visões do amor, tateando, às escuras,
mas um sonho de luz, sem amarguras,
desviou meu coração e eu me perdi.

Que sonho eu não teria se em meus olhos,
em vez de escuridão e passado,
visse meu ser pulsando feito um raio
ressuscitando meus próprios miolos?

Aquele sonho, como por encanto,
alegrou-me e deixou-me vigilante,
enquanto ria de mim toda a humanidade.

Que importa o relâmpago ofuscar tanto?
O que poderia ser mais brilhante
se, em plena luz do dia, luzia a verdade?

Edgar Allan Poe

Por Antonio Thadeu Wojciechowski e Ivan Justen Santana

•22/01/2012 • 2 Comentários

DEUS AMOR
.

o que sentes é teu, de mais ninguém,
por estar dentro, nada interfere
somente o pensamento que se insere
renova o sentimento e vai além
.
a lágrima que cai é tua também

vem de algum argumento que fere
mas podes trazer luz e a um só ampere
todos os anjos dizerem amém
.
é por amor que existem tantos deuses
que ciciam bendições e berceuses
em teus ouvidos surdos aos apelos
.
da razão e do mundo material

é que o amor só quer ser imortal
pelas peles e poros, pelos pelos

antonio thadeu wojciechowski

•18/01/2012 • 3 Comentários

SÓ VOCÊ MESMO

por que estás o dia inteiro em minha mente?
penso mil coisas, falo, faço e aconteço
não tenho tempo pra ser menos do que gente
essa burrice vem comigo desde o berço:
paixão vem a galope, basta uma resposta
e ela já não esconde o que não me mostra

feita de luz, apaga a vista e escurece
por ser calor e descoberta , calafria
igual tão diferente, ela até parece
quando à noite faz sol com luz de meio-dia
se prende, pago a pena sem haver sentença
sem ao menos saber se o crime não compensa

prisioneiro dos sons que emite, eu a imito
liberto das correntes só penso em voltar
é que aos seus olhos eu pareço tão bonito
que dá tristeza ver o espelho se quebrar
ela é o poema: tudo e mais um pouco
quando estou sóbrio mas completamente louco

olho e não posso ver, se toco não é mais
sei que me resta o coração aos sobressaltos:
a vítima que aceita os crimes e os assaltos
e sofre sem deixar de pedir bis jamais
mas tudo só porque, ao vê-la, eu existo
e no papel nem tudo ainda está escrito!

antonio thadeu wojciechowski

duchamp_nude2

•05/01/2012 • Deixe um comentário

duchamp_nude2

POEMA PARA UM DIA CINCO DE JANEIRO QUALQUER

agora que estou te deixando meio de lado
não me venha com o diabo carregado
minha solidão era o paraíso perdido
que um dia deixei num canto esquecido

o dia é longo e o tempo passa devagar
o silêncio também é jeito de dialogar
hoje é um bom dia como outro qualquer
não me traga semanas quando você vier

estou velho demais pra minha idade
séculos, milênios me deixaram à vontade
restou esse poema de ossos aquecidos
onde sonham de volta amores perdidos

escrever até o corpo inteiro sangrar
e descobrir que a mão não consegue parar
morrer – este é o único e definitivo texto
viver – o que eu arrumava de pretexto

antonio thadeu wojciechowski

•04/01/2012 • 1 Comentário

.

Ganhei esta gravura de presente da Gianna Roland e ontem fiz este poema para ela e para sua obra.

..

GATO NATO

gato, que pulo é esse que extrapola?
se não tivesse visto estaria cego
mas vi um dorso no ar entrar de sola
e se agarrar como à madeira o prego

tem flexibilidade de uma bola?
sai pra lá, satanás, que eu te arrenego!
de mansinho, a mágica também rola
e eu cuido estar pegando-o  e não pego

toda a mística de sua alquimia
me assusta pela indiferença intensa
que só sinto ao ouvir enquanto mia

no que será que ele tanto pensa?
ao me ver – como um rei, atende o súdito:
sua resposta é sempre um gesto súbito

antonio thadeu wojciechowski

•01/12/2011 • 2 Comentários


.

‎…

Visões da Manhã

De uma janela aberta ao dia, avisto o céu.
As últimas estrelas se escondem da luz
Que tênue, mínima, vai dando um tom pastel
Aos véus de gaze e seda que compõem um blues.
Deus do Céu!, num pequeno ramo aveludado
Um pássaro acorda uma nota, encantado.

Grãos de cristal líquido na beira das folhas
Tombam, regando o chão que bufa em vapores.
Laranja, o sol avança retirando as rolhas
Dos furos da matéria escura, pra que as cores,
Sobre um show de filigranas, levem realeza
Aos raios que partem de sua quinta grandeza.

Ventos, penteando as cabeleiras dos chorões,
Fazem dançar cortinas tal najas indus.
Eu, vestindo a fé de mil bíblias e alcorões,
Deposito no piso frio os joelhos nus
E faço, emocionado, a mim mesmo um pedido:
Nunca mais repita que o mundo está perdido!

Antonio Thadeu Wojciechowski

•30/11/2011 • Deixe um comentário

Bola perdida.

“Não dá para tapar o sol do sofrimento com a peneira da felicidade”

Meus obstinadíssimos leitores, salvo um daqueles solavancos do destino que, entre muitos acontecimentos, já provocou o desaparecimento de uma Atlândida ou fez cair o avião de meia seleção italiana, tem Atletiba pintando domingo.

Como previ, desde o começo do campeonato, deu coxa disputando vaga na Libertadores e Atlético no poço das almas. Então a coluna de hoje que antecede a realização do jogo do final de semana, se é que esta semana vai acabar, servirá para exorcizar velhos fantasmas que trago no sótão de minha pobre alma futebolística. Mas, catástrofes à parte, dou como certo o pega dos dois velhos rivais para mais um tira-teima, daqueles de fazer coronárias alviverdes e rubronegras pedirem carona para a eternidade.

O Atlético, campeão brasileiro das séries A e B, depois de algumas tentativas de levantar inenarráveis canecos, acabou na Baixada. E como só lhe resta a vitória como alternativa para continuar na série A – isso se o Cruzeiro ou o Ceará não o colocarem a nocaute em pleno Atletiba – com toda a certeza, virá, soltando fogo pelas ventas, querendo fazer valer a vantagem de disputar o último jogo em casa. Fato que lhe dá um certo favoritismo, mas que pode também ser mais uma armadilha armada pelo destino da bola, principalmente se avaliarmos o futebol apresentado em sua última partida. Levou um banho de bola do América Mineiro e só não foi rebaixado por ironia do destino, que deu sobrevida ao Ceará, ao Cruzeiro e ao próprio Atlético.

O Coritiba, pela tradição da camisa – também campeão brasileiro das séries A e duas vezes da B, tem ainda em seu cartel de títulos o Torneio do Povo e incontáveis outros do campeonato paranaense – sempre cresce em decisões e, por tradição, se torna um inimigo mortal no Alto da Glória e um rival poderoso na Baixada.

Nelson Rodrigues, certa feita, me sussurrou ao pé do ouvido: “no futebol quem ganha ou perde as partidas é a alma”, ao que acrescentei: “mas quem empata é o espírito de porco”. Rimos, como duas grandes almas puras e, sob a luz das estrelas, mais emocionados que mãe de padre em dia de primeira missa, fomos um para cada lado do gramado do Maracanã.

Às torcidas sempre cabe o grande e oscilante espetáculo: a louca alegria , o penoso sofrimento, a catarse do drama, o coração querendo saltar pela boca cheia de dentes. A euforia de uma é sempre a desgraça da outra. Mas isso não tem importância, o que eu quero mesmo dizer é que essa decisão é totalmente igual às que Atlético e Coritiba têm enfrentado desde que surgiram. Mas nada de desespero, coxas; ou de euforia, atleticanos. Depois de uma Tragédia do Sarriá sempre tem uma Curva do Tamborello. A verdade é que, num Atletiba, o Imponderável é um verdadeiro Pelé em campo. Explico melhor: quando joga o Imponderável até santo de barro apressa o andor e faz milagre.

O meu velho e bom amigo Torcedor Prado Wojcechowski – esse é verdadeiro nome de um tio meu – o único deste mundo que não tem time (gosta de futebol e torce pelo bom espetáculo), sabendo que eu ia escrever esta coluna, como sempre faz, foi ao terreiro do Véio Chico Fantasma pegar a mensagem mediúnica do Machado de Assis. Como eu não estava em casa, além da mensagem do mestre, me deixou um recado, que transcrevo aqui, na íntegra:

“Dalton, todo time tem seu perna de pau de estimação, aquele que, para defender as cores do seu time, é capaz de morrer estrebuchando em campo e ainda pedir pra voltar. Porém, só os torcedores dos times adversários notam a má qualidade da madeira. Me diga, são os pernas-de-pau que vão decidir o Atletiba, pegando um rebote depois de um sururu e errando o chute para colocar no ângulo sem querer? Deus nos livre e guarde!”

Amém! Digo em voz baixa pra nem eu ouvir. Já vi muitas coisas estranhas durante um Atletiba, só não vi falta de garra, valentia, luta. Jogador deste clássico tem mais fôlego e força que um Sansão, antes da Dalila descabelar o palhaço. Mas agora me dêem licença
que vou atender ao telefone.
– Alô.
– E daí?
– Ô, Carneiro Neto, grande prazer.
– Você já escalou o imponderável para o próximo domingo?
– Claro, né?
– É, imaginei, mas ele não joga sozinho…(pausa)
– … (eu engulo em seco 3 ou 4 recôncavos bahianos).
– Ele tem ao seu lado o Coutinho para tabelar, aliás, Coutinho é apelido, o nome verdadeiro é Detalhe. E aqui chego aonde queria: à escalação do Imponderável ao lado do Detalhe, pelo Grande Técnico. Entendeu, cara?

Desligou, antes de eu acabar de pigarrear. O que fazer? O Carneiro Neto e o Torcedor Prado Wojciechowski são peças raras. Mais esquisitos que dissidentes russos, presos na Sibéria, lamentando e batendo a cabeça, aos gritos desesperados, ao receberem a notícia da morte de Stalin, que os havia praticamente desossado, para usar ossos como dormentes num projeto de estrada mais fajuto que a Transamazônica. Mas, como sempre fazem, me deixam a pensar com os meu botões de futebol de mesa. Estarão lá, os dois? Imponderável e Detalhe, Pelé e Coutinho. Jogando pra quem? Pego a mensagem do Machado de Assis em seus garranchos elegantes e, com a alma sofrendo os fortes abalos peristálticos que sofrem os elefantes, leio:

“o melhor sempre ganha, a menos que acabe perdendo a partida pra si mesmo”.

Vencerá a heróica e sofrida recuperação coxa-branca (uma força da natureza) ou a plácida e auto-elogiada formação rubro-negra (produto da moderna economia globalizada)?

Um amigo, por e-mail, me mandou um arrazoado pra lá de razoável. Confiram:

“Um clássico como Atletiba tem mais de sobrenatural dos santos do que de realidade da silva, tudo ou nada pode acontecer. Dalton, do alto da glória dos meus muitos anos de Atletiba, cheguei a algumas verdades definitivas sobre o clássico:
1. Nem sempre o que está melhor vence.
2. Jogar em casa representa vantagem mínima, já que não é incomum aparecer um Cavalo de Tróia dentro do gramado.
3. O resultado dos jogos é questão de detalhe, principalmente, quando alguém é goleado.
4. Existe uma metamorfose plena e total em certos jogadores, assomam-se-lhes características de craque, personalidade de gênio e intuição divina. Ou exatamente o contrário disso, o cara vira mosca morta e só serve mesmo pra ter chilique e ser expulso. 5. No dia do jogo, Curitiba vai a 10 graus na escala Richter.
Pense nisso com carinho. Grande abraço, do Maringas.”

Não dá pra não concordar. No entanto, o Edílson Del Grossi, acha que não e me diz no Messenger que o Atlético fica na Série A. O Roberto Prado, ao saber disso, vem a pé até aqui em casa e me diz, completamente transtornado: “O Edílson, tá louco! Doidinho de pedra! O cara perdeu o senso num boteco qualquer lá de São Paulo. Será que ele já esqueceu da torcida que nunca abandona? Aquela que transformou o Renê Simões em ser humano? E, mais do que isso, em técnico de futebol?”

Responda você, leitor, ou cale-se para sempre. Como eu me calo e sei onde me aperta.Mas, por favor, poupem-me, porque depois do tremor da semana passada (5,2 na escala Richter) eu já me sinto um habitante de Pompéia esperando um Vesúvio me soterrar completamente.

E, o que é pior, eu totalmente fora de mim.
Até mais.

Dalton Machado Rodrigues.

•17/10/2011 • Deixe um comentário

.

..

COMO É BOM SER EU

poeta, é como todos me chamam
e como isso é bonito de se ouvir
be or be not an option, shakespeare
a alma solitária que todos amam

sento-me numa estrela e sinto-me
olfato das palavras navalhadas
paladar ácido da garrafa de absinto me
puxando pela língua a dentadas

se eu fosse o Fernando, pessoa,
seria uma piada de português
não que a sua poesia não seja boa
é que tenho no peito o erro da vez

água na boca dá gosto de delícia
meu verso, livre, foge do lugar comum
e não goza com a cópia subreptícia
minha puta poesia não dá pra qualquer um!

antonio thadeu wojciechowski

•15/10/2011 • 1 Comentário

.
ATO INSTINTIVO
.

predisposições exatas

para realização de determinadas

sequências de ações

só o tempo vai dizer

se somos melhores que abelhas

baratas e formigas

.

deus, quando fez o homem,

perdeu a viagem

devido ao reposicionamento da aeronave

no aeroporto lotado de boas intenções

as nuvens continuarão chovendo seu batuque

no futuro só restará o facebook

antonio thadeu wojciechowski  e sérgio viralobos

•15/10/2011 • Deixe um comentário


.

AVARO AO QUADRADO

Nem conversa joga fora
Lava os pratos com a língua
De graça na testa até seringa
Da mãe não perdoa nem juros de mora

Suas unhas já mataram muitas vezes sua fome
Nadava pequenininho na piscina do tio patinhas
O que é desse homem nem bicho não come
É tesoureiro vitalício do clube dos sovinas

No dia que deu gorjeta bateu a carteira do garçom
E ainda dizem que o homem é bom

antonio thadeu wojciechowski e sérgio viralobos

•03/10/2011 • 3 Comentários



.
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL
.

mal oral

moral vagau

cara de pau

.

o normal

altos e baixos

em pleno carnaval

.

natural

cachorro au-au

gato miau

.

imoral

eu meto a ripa

e mostro o pau

.

animal

a vida é doce

a morte é sal

.

genial

racional

amor é cálculo total

.

antonio thadeu wojciechowski

•01/10/2011 • 1 Comentário


.

Compre uma camiseta do Batista de Pilar e saia por aí com um belo poema no peito e na raça.

•22/09/2011 • 2 Comentários

.

VAMOS SEPARAR OS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA

.

você é daqueles que acham
que os gênios não tem dúvidas
vai tomar na peida
me recuso a continuar
a partir de agora
você é você
eu, eu

antonio thadeu wojciechowski, leprevost e troi rossilho

•15/09/2011 • 1 Comentário


.

passo a passo

passos de alguém que eu conheço
só não sei se chegam ou se partem
se trazem ou levam, não reconheço,
se querem só pra si ou se repartem

serão vestígios de quem viveu antes?
sinais que na memória ganham vida
e estimulam os neurônios vigilantes
a darem aos passos a atenção devida?

se eles vem cedo ou já vão tarde
não sei, tapo os ouvidos pra não ouvir,
sei que alguém caminha e faz alarde
e o resto é conversa pra boi dormir

antonio thadeu wojciechowski

.

•08/09/2011 • 1 Comentário


.
botando pra poder

.
E no princípio deus criou o G8. E, separando o joio do trigo, pegou o resto da macacada e espalhou pelos quatro cantos do mundo, dando início às diversas nações e outros fracassos. E no sétimo dia, em vendo que sua obra era boa, pegou no sono durante uma conferência da onu. E aproveitando a deixa os selvagens deram início à baixaria.

.

Se peço terra pra viver, sou comunista
Se tenho onde cair morto, sou capitalista
Em guerra santa vale qualquer sacanagem
O Vaticano aumentou a produção de bobagem
O Líbano é uma espécie em extinção
Libidinagem sueca na exportação
Solidariedade é um artigo da Polônia
Leve de brinde um Brasil colônia

Libertê, Igualitê, fraternitê
É coisa pra inglês ver
A última moda na França
É botar pra foder

A comunidade econômica européia
Tem pouco vulcão pra muita Pompéia
No muro de Berlim, dizia uma pixação:
Grande revanche no muro da lamentação

Se o pesadelo é só isso a nada mais
Eu volto a dormir em paz
Não porque eu não seja da tribo
O mundo inteiro não vale o meu livro

antonio thadeu wojciechowski e roberto prado

.

•27/08/2011 • 3 Comentários

.

ordem nesse universo!

nada dentro deste coração
nada do lado de fora
senhoras e senhores,
por favor, mandem esse poema embora!

antonio thadeu wojciechowski

•26/08/2011 • 2 Comentários

 …

amar

para não ficar

sem ar

antonio thadeu wojciechowski


•25/08/2011 • 1 Comentário

.

saudosismo futurista

poetas de outrora
quem me dera poder cantar
a vossa aurora

rimar amores com flores
sentir tantas dores
que ainda sofro agora ao folhear

hoje o amor é artigo de shopping
descartável como um fralda
doce de fruta sem calda
como se fosse só ping
sem pong

os mal amados já tem até uma ONG
para tratar das escoriações
e recolher o que sobrar de seus corações

antonio thadeu wojciechowski

.

•24/08/2011 • 2 Comentários


.
Não sei se alguém mais tem este poema do Leminski. Ou ele me falou no meio de uma de nossas conversas.

.
de tudo
alguma coisa fica
alguma vai
quem me dera
ter tua pica
meu pai

.
paulo leminski

•24/08/2011 • 2 Comentários


.
Para Paulo Leminski

.
enquanto é tempo

ninguém foi ver se eu estava na esquina
ou se, pelo menos, minha palavra estava
e dizia a que veio
batendo de frente
de perfil
de quina

a poesia é um escândalo
atrás do outro
o poeta, um bando
movido à cicatriz
e perdigoto

misto de mártir e meretriz
um poço
um passo
carne de pescoço
alma que foi pro espaço

todo santo dia
morre um de tanto beber
outro de atrofia
poucos de tanto escrever
muitos que ainda iriam ser
e não foram nem sombra
do que poderiam ter sido

ah! não farei um último pedido
a vida é um não sei
e a gente sabe
que é de lei
usar antes que acabe

antes que o peito
como um pneu furado
se esvazie, de tal jeito,
que o coração
ainda vivo
seja prensado, paralisado
sem emoção
sem motivo
sem ar
sem ter conjugado
na primeira pessoa
o verbo amar

Antonio Thadeu Wojciechowski

.

•24/08/2011 • 1 Comentário

.

agora que já é depois

para Douglas Diegues

ontem à noite fiquei comovido
um poema de Manoel de Barros tem esse poder
me jogar pra cima e fazer
voltar a emoção que havia sumido

perdi as medidas
já não sei quanto é pouco
quando muito
enquanto mais ou menos
mulheres encheram meus olhos de delicadezas
e poetas, de visões

nada a fazer agora que já é depois
meu coração é grande mas não é dois

antonio thadeu wojciechowski

•23/08/2011 • 2 Comentários

.

VIVER

Claro, mãe, claro que vai dar tudo certo
Não importa essa floresta, hoje, deserto
Nem essa pressa de conquistar o mundo
Tudo que eu sei, mãe, é que vou fundo
E essas asas de anjo, verdadeira herança,
Você me deu quando eu ainda era criança
E achava que voar era só um exercício;
Viver, o que havia entre o cume e o precipício

Antonio Thadeu Wojciechowski

.

•22/08/2011 • Deixe um comentário

Nascer da Lua

Que coisa mais bêbada! Onde estou? Que data?
Meus pensamentos ciciam belezas neste momento.
Minha noiva noite de puro encantamento,
Eu firo o violão amoroso em notas de prata!

Soam ao redor da lua mares de tranqüilidade,
Mas a luz da Lua, espelho, vem de longe.
As pessoas simples apaixonadas na cidade
Amam o poeta sem saber como, quando, onde!

É para eles que quebro o meu coração
Ou enlouquecer de alegria tem outra razão?

Antonio Thadeu Wojciechowski

 …

..

•21/08/2011 • 2 Comentários

CELEBRAÇÃO

.

Celebro a farta porradaria da boa
A alegria dos socos e dos palavrões
A camaçada de paus na cara e na coroa,
Sangue, dentes quebrados e escoriações

Celebro a guerra total dos mundos
A rara arte do contista do vigário
O calote dos cheques sem fundos
A marcha fúnebre do farrista mercenário

Celebro a marginália, a tribo e o forte
O urro retumbante e o chacoalhar de ferros
O silêncio ensurdecedor da morte
A eloqüência do chumbo entortando os berros

Celebro a vida e a coragem de mudar
Celebro a morte e a vontade de lutar

antonio thadeu wojciechowski

•21/08/2011 • 1 Comentário
.

te amo, meu anjo

dá-me, Damião
a força que me nego a ter,
o branco dos dentes enquanto o vermelho
mancha o chão

esse buraco, Cosme,
é negro cosmos
criadouro de estrelas
e dos céus da paixão

tenho só dois braços
soltos na amplidão
protejam meu coração
de coração aberto, Cosme e Damião

antonio thadeu wojciechowski

•20/08/2011 • 1 Comentário

‎…

Pôr do Sol

Cadê você? A alma bêbada anoitecente
para as delícias do momento; agora pouco
ouvi o sol, adorável adolescente,
embriagar o céu com sua lira e suas notas de ouro
em seu canto de morte.

Vermelhos à sua volta bosques e colinas;
ele já não estava nem aí, foi levar luz e sorte
ás pessoas, no despertar de sinos e sinas,
gente devota que o honra ainda.

Friederich Hölderlin
Livre adaptação de Antonio Thadeu Wojciechowski

•19/08/2011 • Deixe um comentário

.

o eterno retorno
.
me lembro bem, eu já fui um deus
daqueles que moviam mundos e fundos
bastava rir para ver tudo florir
mas aqueles que eu chamava de meus
aqueles que deveriam ter fé
foram virando as costas
e, sem mais nem menos, me largaram a pé
sem perguntas e sem respostas
.
eu sabia que a sensação de estar só
como tudo nesse mundo
um belo dia, retornaria ao pó
e assim me tornei um vagabundo
um inútil pária das estrelas
um monumento ao nada que sirva
um sinônimo de ovelha
não de pastor ou cristo ou shiva
.
o mundo era meu, estava escrito,
no entanto, não tomei posse
e nem deixei o bem dito pelo maldito
mas se a luz é sombra até que se mostre
encontrei no breu o farol da volta
a poesia me pegou na veia
e, com mil poetas como escolta,
voltei à vida com a caneta cheia!

Antonio Thadeu Wojciechowski

•19/08/2011 • 3 Comentários


.
TUDO NA VIDA

acordei com Emily Dickinson na boca
e logo, ao abrir os olhos, que cena!,
entre os dentes achei um poema
e a cada palavra que dormia de touca
lancei o desafio do dia à luz mais louca!

vestindo os versos à boca pequena
minha língua trivial entrou em cena
não fosse o céu desse azul cegante
eu não teria dado um passo adiante
falei tão manso e a voz tão rouca
que a minha desgraça era pouca

minhas pernas tremiam gelatinas,
como não ousar diante da beleza?
tomando um café sentado à mesa
eu ainda a retinha entre as retinas
que sonho, que amor, que manhã!
por todo o poema o hálito da maçã

somente quando abri as cortinas
o sol me deu toda a certeza
e foi na calor de sua correnteza
que fundi essas rimas repentinas:
a vida é hoje; a morte, o amanhã
e a poesia, seu mais ardoroso afã.

antonio thadeu wojciechowski

.

•19/08/2011 • Deixe um comentário

.
isto posto, adeus!

.

cheguei ao mundo à tapa, mas não reclamei

botei a boca no trombone e tirei de letra

meu cérebro, superdotado, metido à besta,

não trouxe à tona tudo aquilo que pensei

.

os que me cercavam aplaudiram e fizeram festa

àquele mínimo lugar comum que lhes dei

mal sabiam eles do plano genial que preparei:

minha vida perspicaz e sutil parecer modesta

.

digam o que digam, não vivem mais sem mim

por isso, cautelosos, se afastam devagar e sempre

de vez em quando me ligam dizendo coisas assim:

“eu ia aí, mas não consigo nadar contra a corrente!”

.

antonio thadeu wojciechowski

.

..

•17/08/2011 • Deixe um comentário

.

cri-me

“lá vou eu como não fui jamais”

todo santo dia sapeco algum verso
não sei bem como isso funciona
se é memória que meu cérebro detona
ou se atendo meu instinto perverso

todos os assuntos a favor ou inverso
não são a matriz que o poema clona
o que a palavra quer é ser dona
de mim e de seu próximo universo

antonio thadeu wojciechowski

•16/08/2011 • Deixe um comentário

.

pelas barbas de mim mesmo

minha segurança é jesus
por isso pratico karatê
e ando armado
se ele que tinha o poder
foi crucificado
imagine eu, incrédulo na cruz

perdido não preciso de perdão
nem garantia de ressurreição

o céu é muito grande pra nós dois
por isso entrei no elevador e desci
eu sou underground
a essas alturas já sinto vertigem
não posso esquecer minha origem humilde de santo
à primeira mulher que passar eu canto
eu canto

(antonio thadeu wojciechowski, bira oliveira, edson de vulcanis e trindade)

•16/08/2011 • Deixe um comentário

.

não façam fita comigo

não aceito mais nada pela metade
cobro à vista qualquer conversa fiada
chega de mentira que parece verdade
minha risada hoje é uma grande piada

o cordão dos idiotas da objetividade
cada vez aumenta mais na parada
estão trocando a lente da eternidade
por modismos que não servem pra nada

em letras garrafais deixo o aviso
bem na porta do cinema paraíso:
se você acha que está a salvo neste time,
sou aquele que vai queimar o seu filme!

antonio thadeu wojciechowski

•16/08/2011 • Deixe um comentário

.

EVANGELHO PUNK

meu amor, daqui pra frente
tudo vai ser para sempre
o passado acaba de repente
e o futuro não existe simplesmente

não, não, o futuro não existe simplesmente
não, não, o futuro não existe simplesmente

o presente vem de embrulho
tenho que fazer esforço hercúleo
pro ano não acabar em julho
e o resto do tempo eu ficar pagando juros

não, não, desse jeito o futuro não existe
não, não, desse jeito o futuro não existe

viver é melhor que pagar
a minha cova não adianta hipotecar
na pança dos vermes podem vir me cobrar

Antonio Thadeu Wojciechowski, Alexandre França, Luiz F. Leprevost

•16/08/2011 • Deixe um comentário

.

você olha para o sol e a chuva
no fim, um pote de ouro vazio
lá onde o arco-íris faz a curva

antonio thadeu.wojciechowski

•16/08/2011 • Deixe um comentário

.

O QUE ANDAM DIZENDO POR AÍ

… Mamãe, por que você bateu naquela mulher que a gente viu chorando no túmulo do papai?

… O amor é como a gasolina da vida. Custa caro, acaba rápido e pode ser substituída pelo álcool.

… Ex-namorado é que nem vestido: você vê em foto antiga e não acredita que teve coragem de um dia ter saido com aquilo!

… Eu sempre quis ter o corpo de um atleta. Graças ao Ronaldo isso já é possível.

…. Troque seu coração por um fígado, assim você se apaixona menos e bebe mais.

… Os ursos polares adoram o frio. Os bipolares às vezes adoram, às vezes não…

… Antes eu não era perfeito… Faltava-me a modéstia.

O amor não é aquilo que te pega de surpresa e te deixa totalmente sem ar. O nome disso é asma

O amor não faz brotar uma nova pessoa dentro de você. O nome disso é gravidez.

O amor não torna as pessoas mais bonitas. O nome disso é maquiagem

Se beber fosse pecado, Jesus teria transformado água em Fanta Uva!

Todo mundo comete erros. O truque é cometê-los quando ninguém está olhando.

Leio a Playboy pela mesma razão que leio a National Geographic: Gosto de ver fotografias de locais que sei que nunca irei visitar.

Dizem que a bebida resolve todos os problemas. Pra mim ainda não resolveu, mas eu sou brasileiro e não desisto nunca!

As melhores crianças do mundo são as japonesas. Estão a 20 mil quilômetros de distância e quando estão acordadas eu estou dormindo.

Quando a gente envelhece, o cabelo embranquece, o osso adoece, o joelho endurece, a vista escurece, a memória esquece, a gengiva aparece, a hemorróida engrandece, a barriga cresce, a pelanca desce, a mulher se oferece, a gente agradece.

Calorias são pequenos vermes inescrupulosos que vivem nos guarda-roupas, e que a noite ficam costurando e apertando as roupas das pessoas.

Se você se lembra de quantas bebeu ontem, então você não bebeu o bastante.

Se vegetarianos amam tanto assim os animais, por que eles comem toda comida dos pobrezinhos?

•16/08/2011 • 1 Comentário

.

antes do que nunca

acordei tarde pra caralho,
duas granadas, uma em cada mão,
tomei meu coquetel molotov
me armei com alguns versos
e fui pra rua

deixei as granadas sob o travesseiro
preciso do barulho da explosão
pra acordar mais cedo amanhã

antonio thadeu wojciechowski

….

•16/08/2011 • Deixe um comentário

EU

sou o avesso
em vez de ir aprendendo
fui me desfazendo
e voltando ao começo

me livrei da fé
depois de perder a alma no negócio
perdi o amor próprio
e expulsei meu ego a pontapé

perdi a vergonha na cara
e gozeii de real prazer e puro deleite
não dei às promissórias da vida o aceite
e me desfiz do que me mascara

fui deixando de lado
a solidão vazia das conversas de salão
entrei de sola com o dedo no cão
e me absolvi de todo o pecado

abandonei os jornais
doei meu gibis a um orfanato
para um asilo a TV e o rádio
e o de menos virou mais

agora tenho a mim
e comigo conto
se a morte é assim
eu já estou pronto!

antonio thadeu wojciechowski

.

•16/08/2011 • Deixe um comentário

O animal é mais conhecido como o Ibex Europeu ou  Ibex Alpine (Ibex de Capra).

Esses Ibex comem musgo, flores e sais minerais, que se acumulam nas paredes da barragem.

 

 

•16/08/2011 • Deixe um comentário

•16/08/2011 • Deixe um comentário

•16/08/2011 • Deixe um comentário

•18/05/2011 • 1 Comentário


.
retrato falado de alguns marginais

.

quando essa corja

que mandou fechar o Beto Batata

viaja ao exterior

gosta de freqüentar os bares e restaurantes

ouvir a música local

e deixar muitos dólares por lá
.

aplaudem de sair sangue na palma das mãos

e dizem à boca pequena:

“isso sim é um país de primeiro mundo”

eu olho-os e vejo uma caterva

boçal e ignorante

de caipiras endinheirados
.

não diferenciam um gaugin de um van gogh

mas querem se impor

querem mandar na conversa

como se espírito, inteligência e bom humor

fossem artigos de prateleira

e eles pudessem  comprar
.

mas a copa do mundo

e outros turistas do mundo todo

forjados na mesma escola vem aí

e querem jantar dançar ouvir curtir

mas o prefeito e o governador

estarão em buenos aires dançando um tango

.

antonio thadeu wojciechowski
.
.
.

•26/01/2011 • 6 Comentários

.

POLACO EM OBRAS.

.

Por motivo de estar terminando meus 3 próximos livros, voltarei a postar somente após o dia 10.03.2011. Obrigado pela compreensão e divirtam-se com as centenas de postagens anteriores.

..

.

Dia 21.01.2011

•11/01/2011 • 3 Comentários

Ói eu aí outra vez.

•25/11/2010 • 4 Comentários

.

Em janeiro, tudo de novo.

.

Estarei de férias por mais alguns dias, mas em janeiro, começa tudo de novo sob a luz do sol. Aguardem e aproveitem para ler o que não conseguiram acompanhar.

.

Beijão e feliz natal e ano novo a todos.

 

Polaco da Barreirinha

 

.

•10/11/2010 • 5 Comentários

.

Coxa de volta à primeira divisão, para alegria do meu coração.

.

.

.

•05/10/2010 • 8 Comentários

.

Todos os amigos estão convidados para tomar umas e participar do lançamento do meu novo livro “Os bêbados amam demais”. Anotem em suas agendas: 14 de outubro, a partir das 20h30. Venham, é melhor do que nada.

.

.