“Estou bem feliz em ver que meu trabalho foi reconhecido”,
afirma Wilson Bueno. Foto Divulgação.
.
AUTORES PARANAENSES EM DESTAQUE.
.
.

A Oxford Press University, a mais importante editora universitária dos Estados Unidos, lançou recentemente uma antologia que é a mais completa e importante obra do gênero editada até agora, em língua inglesa, sobre a literatura latino americana.O trabalho cobre 500 anos de produção em língua portuguesa e espanhola. Dentre tantos escritores, a obra selecionou o trabalho de três paranaenses: Paulo Leminski (Catatau), Josely Vianna Baptista (Poetry) e Wilson Bueno (Paraguayan Sea).

O escritor Wilson Bueno, nascido em Jaguapitã, norte do Paraná, que já foi colunista do jornal O Estado do Paraná, e é considerado um dos mais importantes escritores modernistas brasileiros, revela um pouco mais desse trabalho.

“Essa apologia à poesia latino americana é a publicação mais importante. São aproximadamente 608 páginas, que cobrem escritores desde o Uruguai até o México, de escritores anônimos até pessoas reconhecidas internacionalmente, abrangendo os idiomas português e espanhol”, comenta Bueno.

O escritor paranaense, que já lançou 17 livros que já foram publicados em países como Canadá, Chile, Argentina, México, Cuba, entre outros, chama a atenção para um detalhe curioso: entre tantos nomes presentes na antologia, apenas quatro escritores estão vivos.

“Somente eu, a Josely, o Décio Pignatari e o Augusto de Campos ainda estão vivos. O trabalho conta com a presença de escritores do porte de Castro Alves, Olavo Bilac, Cecília Meireles, Cruz e Souza, Aloísio de Azevedo, Machado de Assis, dentre outros excelentes escritores que deixaram sua marca na história. A maioria dos autores obteve duas ou três republicações de suas obras, contudo, alguns, como do argentino Jorge Luis Borges, do próprio Machado de Assis, dentre outros, tiveram uma participação ampliada. A antologia foi um trabalho extremamente seletivo e reuniu só gente conceituada”, avalia.

Para Bueno, estar ao lado de todas essas pessoas é um motivo de muito orgulho. “Estou bem feliz em ver que meu trabalho foi reconhecido. É quase um êxtase, uma cartase. Estou muito orgulhoso de estar presente nessa obra e de levar o nome do Paraná, pois tenho muito orgulho de ser paranaense”, comemora.

Ele garante ainda que o Paraná é um celeiro de talentos para a literatura. “Felizmente, temos bons literários aqui. O Estado tem se destacado nesse cenário e esperamos que isso se mantenha”, conclui.

.
Flávio Laginski. O Estado do Paraná (5/9/2009)
.
.
.

Obras de paranaenses são reconhecidas internacionalmente

“Estou bem feliz em ver que meu trabalho foi reconhecido”,
afirma Wilson Bueno. Foto Divulgação.
A Oxford Press University, a mais importante editora universitária dos Estados Unidos, lançou recentemente uma antologia que é a mais completa e importante obra do gênero editada até agora, em língua inglesa, sobre a literatura latino americana.

O trabalho cobre 500 anos de produção em língua portuguesa e espanhola. Dentre tantos escritores, a obra selecionou o trabalho de três paranaenses: Paulo Leminski (Catatau), Josely Vianna Baptista (Poetry) e Wilson Bueno (Paraguayan Sea).

O escritor Wilson Bueno, nascido em Jaguapitã, norte do Paraná, que já foi colunista do jornal O Estado do Paraná, e é considerado um dos mais importantes escritores modernistas brasileiros, revela um pouco mais desse trabalho.

“Essa apologia à poesia latino americana é a publicação mais importante. São aproximadamente 608 páginas, que cobrem escritores desde o Uruguai até o México, de escritores anônimos até pessoas reconhecidas internacionalmente, abrangendo os idiomas português e espanhol”, comenta Bueno.

O escritor paranaense, que já lançou 17 livros que já foram publicados em países como Canadá, Chile, Argentina, México, Cuba, entre outros, chama a atenção para um detalhe curioso: entre tantos nomes presentes na antologia,

apenas quatro escritores estão vivos.

“Somente eu, a Josely, o Décio Pignatari e o Augusto de Campos ainda estão vivos. O trabalho conta com a presença de escritores do porte de Castro Alves, Olavo Bilac, Cecília Meireles, Cruz e Souza, Aloísio de Azevedo, Machado de Assis, dentre outros excelentes escritores que deixaram sua marca na história. A maioria dos autores obteve duas ou três republicações de suas obras, contudo, alguns, como do argentino Jorge Luis Borges, do próprio Machado de Assis, dentre outros, tiveram uma participação ampliada. A antologia foi um trabalho extremamente seletivo e reuniu só gente conceituada”, avalia.

Para Bueno, estar ao lado de todas essas pessoas é um motivo de muito orgulho. “Estou bem feliz em ver que meu trabalho foi reconhecido. É quase um êxtase, uma cartase. Estou muito orgulhoso de estar presente nessa obra e de levar o nome do Paraná, pois tenho muito orgulho de ser paranaense”, comemora.

Ele garante ainda que o Paraná é um celeiro de talentos para a literatura. “Felizmente, temos bons literários aqui. O Estado tem se destacado nesse cenário e esperamos que isso se mantenha”, conclui.

Flávio Laginski. O Estado do Paraná (5/9/2009)

Anúncios

~ por polacodabarreirinha em 11/09/2009.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: