CORITIBA – 100 ANOS DE AMOR E GLÓRIAS

coritiba30112008_6

.

CEM ANOS DE EMOÇÃO.

.

Aí está, meus amigos. Uma página para o futebol, NO DIA DOS 100 ANOS DO MEU QUERIDO CORITIBA. Uma seleção campeoníssima. Onde a homenagem maior fica para o gênio do esporte, o Garrincha, a alma passarinha. Mas não quero deixar de homenagear também aos coxas Cláudio Fajardo, Alessandro Wojciechowski, Roberto Prado, Ubiratan Gonçalves de Oliveira, Solda, Vera e Caetano, Pedro Prado, Sérgio Viralobos, Maringas, Walmor, Cobaia, Catarina Velasco, Marcelo Chytchy, Chico Fantasma, Marcela Gonçalves de Oliveira, Alua e Paola Wojciechowski, Cláudia Becker, Kevin Kojo Wojciechowski, Edson de Vulcanis, Márcio Goedert, Zé Buffo e aos rubro-negros Edílson Del Grossi, Ivan Justen, Flávio Jacobsen, Francisco Cardoso e José Alberto Trindade.

.

.

Futebol – uma folha seca

que não faz outono.

.

O futebol legítimo é uma invenção do Pelé e do Garrincha. Com contribuições do Zizinho, Roberto Carlos, Didi, Nilton Santos, Zico, Maradona, Krüger, Sicupira, Romário e Ronaldinho. Como se pode ver, só dá Brasil. Maradona está aí na lista porque se inspirou em Rivelino. Falam muito de Puskas e Di Stéfano, mas eles não valem um Tostão. Mas esse papo é meio oxo. Quem não viu Garrincha, o anjo das pernas tortas, precisa saber que de seus pés nasceram os 3 minutos mais maravilhosos do futebol mundial. Os russos tinham se preparado cientificamente para copa, com computadores, aparelhos e sei lá mais o que, o Mané saiu driblando até sua própria sombra e deixou meio time esparramado pelo chão. Pra nós, poesia e futebol sempre deram samba.

Épico ( 58 ) , heróico (62), lírico (70) e dramáticos. É so relembrar o salto alto de 50, os magníficos derrotados de 82, o pênalti errado por quem nunca errou de 86, o gadelhudo argentino loiro burro de 90, os nervos em frangalhos de 94, e estamos conversados. Aqui no Paraná, futebol se chama Atletiba. E torcida fiel, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, casa com o coxa. E vê seus filhos Passarinho, Krüger, Kosilek e Edson atacando até hoje para as defesas espetaculares do Caju. E por falar em futebol, somos penta, graças ao Romário e ao Ronaldinho. Vem aí outra copa, mas isso também não tem importância. Melhor é ir tomar uma gelada e comer um bolinho no Bar do Torto, lá o Garrincha ainda vive. E como o Arlindo trata bem a gente!

.


Gol!

O resto é prosa.

.

Antonio Thadeu Wojciechowski e Roberto Prado

.

era dunga

.

definitivamente não entendo nada de soccer

pelé e garrincha foram dribles na imaginação

quem eu chapelava, hoje me bota nas canetas

dunga é o duplo sentido em pessoa

quem mais destrói é o mais acionado

vitória de 1 x 0 não pode mais ser derrota

que a jogada mais sutil seja um trompaço bem dado

a última folha seca tirou tinta da trave há quantos outonos?

.

Antonio Thadeu Wojciechowski e Sérgio Viralobos

.

.

do parto ao ponto de partida

.

tomado um passeio

com ola e olé no meio

levou, além do voleio,

a vaia que devolveu sua fuça ao espelho

.

colocado pra escanteio

veio de quebra

na volta

o maior vareio

.

caiu da maca mancando

e sob a sanha assassina

da massa ensandecida

suou sangrando

e sozinho

o banho de bola

da sua vida

.

Roberto Prado

.

.

hino ao coxa

.

nós já nascemos vencedores

mesmo quando perdemos

ou empatamos

sempre e sempre ganhamos

pois somos 5 milhões de jogadores

.

Marcos Prado e Plínio Gonzaga Filho

.

.


o gênio de Pau Grande

.

Com o Garrincha jogando

a bola ia sempre na mesma direção,

para o mesmo lado do campo

ou às vezes nem ia até.

.

Ficava ali, parada, olhando pro Mané,

que olhava os adversários no chão.

Em segundos que pareciam horas,

pensava: “Deus joga certo por pernas tortas”

.

Antonio Thadeu Wojciechowski

.

.

o melhor hino de todos os tempos

.

a grama é verde

a cal é branca

é bola na rede

a bandeira verde e branca se levanta

.

coxas pisam em campo

outro time treme nos tamancos

mesmo que a trave entre de sola

o ponto de vista é a bola

.

mesmo que o estádio vá abaixo

saímos dos escombros no braço

sou Coritiba, sou coxa roxo

nossa torcida tem sangue guerreiro

leva nos ombros o Torneio do Povo

leva no peito o Campeonato Brasileiro

.

sou Coritiba, sou um por todos

ganho na raça do mundo inteiro

.

Antonio Thadeu Wojciechowski, Sérgio Viralobos e Ubiratan G. Oliveira

.

.


dois gols de placa

.

1º tempo

.

manchete

.

CHUTES DE POETA

NÃO LEVAM PERIGO À META

.

.

2º tempo

.

quero a vitória

do time de várzea

.

valente

covarde

.

a derrota

do campeão

.

5 x 0

em seu próprio chão

circo

dentro

do pão

.

Paulo Leminski

.

.

4 jogadas de gênio.

.

1. Quem ganha e perde as partidas é a alma.

.

2. A arbitragem normal e honesta confere às partidas um tédio profundo, uma mediocridade inenarrável. Só o juiz gatuno, o juiz larápio dá ao futebol uma dimensão nova e, se me permitem, shakespeariana.

.

3. O futebol é a mais feia, a mais cruel, a mais tenebrosa das paixões. De repente, Mané Garrincha apareceu. Todo o povo exultou porque o seu jogo tinha milhares de guizos radiantes. Diante dele, o torcedor esquecia a sua ira vespa pornográfica. Só com o Mané a multidão aprendeu a rir, só com Mané a multidão deixou de ser a neurótica obscena.

.

4. O que eram certas jogadas de Pelé se não cínicos e deslavados milagres?

.

Nelson Rodrigues, o Pelé da crônica esportiva.

.

.

Ademir da Guia

.

Ademir impõe com seu jogo

o ritmo do chumbo (e o peso),

da lesma, da câmara lenta,

do homem dentro do pesadelo.

.

Ritmo líquido se infiltrando

no adversário, grosso, de dentro,

impondo-lhe o que ele deseja,

mandando nele, apodrecendo-o.

.

Ritmo morno, de andar na areia,

De água doente de alagados,

Entorpecendo e então atando

O mais irrequieto adversário.

.

João Cabral de Melo Neto

.

.

Entra em campo Marcos Prado

.

Não se afobe com essa menina,

é preciso classe para dominá-la.

Calma, ela é que o ensina

onde se deve ou não tocá-la.

.

Por ter as formas perfeitas,

e os macios, simétricos gomos,

é mais carinhosa com quem a ajeita

do que quem a persegue como gnomos.

.

Apesar de ser o centro das atenções,

e ter poder sobre o mundo todo,

ela rola, humilde, entre as paixões,

exposta ao sol, à chuva, ao lodo.

.

Não se incomoda que a matem no peito,

que a chutem, que a dividam, que a isolem,

que a levem no bico, e, com efeito,

ela procura o ângulo que lhe escolhem.

.

Carente, ela também busca o abraço

daquele que melhor a encaixe,

do que a tem ao alcance do braço,

dona absoluta do seu passe.

.

Com o tempo, seus parceiros mudam.

Alguns, com ela, conseguem glória e dinheiro

e pensam que a dominam. Mas não se iludam:

ela sempre comemora o gol primeiro.

.

Esta é a bola, genial, feminina,

fascínio de quem defende e ataca.

Aos grossos, ela, cruel, fulmina.

Aos artistas, ela brinda o gol de placa.

.

marcos prado

.

.

.

Anúncios

~ por polacodabarreirinha em 12/10/2009.

7 Respostas to “CORITIBA – 100 ANOS DE AMOR E GLÓRIAS”

  1. Thadeu: aqui vão duas modestas contribuições ao seu campeoníssimo escrete de poemas (e hoje passei o dia com a camisa do CAP, em atenção ao centenário do [humpf, vá lá:] “glorioso”…

    RESPOSTA BARROCA AO POEMANCHETE DE LEMINSKI, O QUAL DUVIDOSAMENTE AFIRMAVA QUE CHUTES DE POETA NÃO LEVARIAM PERIGO À META

    O poeta ninguém soube donde veio
    ali no meio do clássico de domingo:
    só viram quando bateu um escanteio
    assinalando um lindo gol olímpico

    A ONZE METROS DA TV

    Falta feia na grande área:
    quando o trilo do apito decide o
    lance, não há nada que separe a
    imagem congelada do seu olho seco no vídeo.

    Cobrado impiedosamente:
    quem vê não diz que você mal ti-
    ra o olho da TV e ainda sente
    o mesmo medo do goleiro diante do pênalti.

    Ivan Justen Santana

  2. Valeu, Ivan. Um abração.

    hadeu

  3. ê ô!!!!!

  4. Thadeu, maravilha esta coleta precisa como um passe do negão. E, cara, na boa, sem afetação, mas ninguém me tira da cabeça nunca mais que este poema do Prado acerca da bola, é o poema de futebol mais genial de todos os tempos. Lágrimas ao lê-lo, hoje e sempre. Salve e parabéns aí, seu coxas moles, quer dizer, seus bundas brancas. Ah, seus … seus… abraço!

  5. Tomei a liberdade de te publicar no meu blo. Veja se está ok pra vc. Mas gostei muito…então….
    http://walkyria-suleiman.blogspot.com/2009/09/navegando-e-colhendo.html

  6. a-tlé-ti-co!!!

  7. Bom, ai cada um tem o time que merece.Hehehehe.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: